fbpx

5 tendências da nova economia para empreendedores

A Euromonitor International, empresa global de pesquisa de mercado, divulgou, no começo de 2019, um relatório de tendências de consumo para o ano e a nova economia.

Segundo o estudo, o consumidor atual está mais inteligente, se preocupa mais em cuidar de si e está buscando fazer a diferença para o mundo.

Sabemos que os hábitos de consumo mudam rapidamente, principalmente na era pós-digital, e acompanhar as tendências é fundamental para manter a saúde do negócio nesta nova economia.

nova economia

Confira em nosso post quais são as tendência de 2019 e inspire-se para novos empreendimentos:

Consumidor antenado a nova economia

O consumidor de décadas atrás dependia da opinião de um especialista – muitas vezes o próprio vendedor – para saber informações mais concretas sobre o produto ou serviço antes de adquiri-lo, como suas aplicações, formas de uso, vantagens e benefícios. Hoje, com tanto aceso à informação, o especialista é o próprio cliente. Ele já está muito mais antenado e já sabe o que quer e para que quer. Os consumidores digitais têm a tendência de procurar e compartilhar informações e as empresas precisam se adaptar às novas exigências para permanecerem relevantes.

Menos é mais

O consumidor atual está abrindo mão do materialismo e focando mais em experiências, ou produtos e serviços que proporcionem essas experiências. O simples é o novo chique nesta nova economia. Nesse momento, vale a pena oferecer produtos únicos, diferenciados e com mais qualidade. Nesse quesito, podemos citar também a experiência pós-vendas, que é quase tão importante quanto os esforços dedicados ao cliente para fechar uma venda.

Forever Young

Os consumidores +40 querem se sentir e ser tratados como jovens. Eles estão praticamente equiparados quanto ao uso de tecnologias, como smartphones, gadgets em geral e redes sociais em relação aos consumidores mais jovens. O segredo para agradar a todos os públicos é oferecer produtos e serviços que sejam universalmente acessíveis, mesmo quando projetados com o objetivo de atingir um público-alvo mais velho ou mais novo.

Sustentabilidade

Questões como consciência ambiental e sustentabilidade têm pesado nas escolhas do novo consumidor, como o bem-estar animal – que abre portas para os negócios voltados a cosméticos naturais e não testados em animais, e também à gastronomia e à moda vegana – e também a criação de produtos orgânicos e biodegradáveis, que contribuem para a redução do lixo e da poluição do solo, das águas e do ar.

A integração entre o on e o off-line

O crescente uso de internet móvel, causado principalmente com o lançamento de smartphones cada vez mais avançados e conectividade acessível, aumentou também o número de experiências interativas ao vivo. Com o uso de QR Codes e realidade aumentada (como a Coca-Cola fez em suas latinhas de natal) é possível oferecer essas experiências, unindo o mundo real ao mundo digital. Uma boa oportunidade é investir em ações promocionais em épocas sazonais. Além da experiência, a vontade crescente em compartilhar gerará publicidade e divulgação e esse tipo de ação e o potencial do que pode ser criado é imenso.

Nova Economia

Rápido e prático

O imediatismo é uma forte característica no estilo de vida do novo consumidor. Ele não quer esperar 30 dias úteis para a chegada de um produto. Ele quer comprar e receber em 2 dias, senão em algumas horas.

Por isso, os e-commerces estão investindo no uso de logística expressa e criação de aplicativos para atender a esses consumidores. Um bom exemplo é o compre com 1 clique, que permite fazer compras on-line cum um único clique, sem a necessidade de preencher sempre seus dados.

Essa exigência também aumentou consideravelmente o mercado de startups de entrega, como iFood, Uber Eats, Rappi, Glovo e Loggi.

Resumindo, a palavra que define esse novo momento na nova economia é a disrupção, ou seja, sair da zona de conforto e romper os velhos modelos de mercado, dando espaço para a tecnologia, agilidade e praticidade.

CTA eBook01

Arquivos

Categorias